Linha 5 Metrô

ViaMobilidade estreia operação da Linha 5 Lilás com novidades!

monitores via mobilidade
Monitores dos trens já atualizados (Fernando Galfo)

Conforme noticiamos recentemente, a ViaMobilidade, concessionária da Linha 5 Lilás, irá estrear a operação comercial das novas estações. Hoje é o primeiro dia da operação oficial da linha e já temos novidades: novo site e a “nova” nomenclatura das Frota F e Frota P.

Final de julho tivemos a confirmação pela Secretaria dos Transportes Metropolitanos (STM) que de fato as mudanças da layout e cor foram aprovadas tanto dos trens quanto das estações.

Todas alterações foram previamente acordadas entre Metrô, concessionária e a Comissão de Monitoramento das Concessões e Permissões (CMCP).

Apesar da concessão da Linha 5, os trens continuam sendo propriedade do Governo do Estado de São Paulo. Portanto quaisquer alterações precisam ser autorizadas pelo Metrô e pela CMCP.

Detalhe importante: a concessionária quem irá se responsabilizar pela mudança, tanto nos recursos financeiros quanto na implementação.

Site da ViaMobilidade

Também estreou hoje o novo site conforme imagem abaixo. Clique na imagem para acessá-lo.

site-viamobilidade

Nova cor nas Estações

As estações  vão passar pelo processo de mudança na cor institucional, usando a cor oficial da ViaMobilidade. Todas as placas serão trocadas para demonstrar a mudança. Importante: o padrão de comunicação visual do Metrô continua.

Mudança em processo ainda. Reparem que ainda tem o logo do Metrô.

Monitor logo Metrô
Logo do Metrô (Fernando Galfo)

CC5

Desde o dia 07 de julho, conforme noticiamos recentemente, a ViaMobilidade já estava a cargo do centro de controle operacional – que na Linha 5 Lilás tem a sigla CC5 – sob supervisão do Metrô. A partir de hoje a operação é exclusiva da concessionária.

CC5 (ViaMoblidade)
CC5 (ViaMoblidade)

Nova cor e nomenclatura dos trens da Frota P

Em julho tivemos acesso a uma montagem feita pela ViaMobilidade onde vemos a Frota P com um novo layout: o logo da concessionária e uma faixa percorrendo todo a a composição, similar aos trens da Linha 4-Amarela. Não publicamos antes porque a mudança até então não havia sido aprovada pelo Metrô.

Outro detalhe interessante é que os trens vão voltar com a nomenclatura antiga – série 500. A Frota P começa com a numeração 509, seria então da 509 a 534. Já a Frota F são 8 trens: 501 a 508.

Oficialmente a partir de hoje não se fala mais em Frota P mas sim em Frota 500.

Hoje também iniciou a nova adesivagem e a troca de todo a comunicação visual dentro dos trens. Portanto se virem um trem lilás chegando na estação, não estranhem!

Monitores atualizados (Fernando Galfo)
Monitores atualizados (Fernando Galfo)

Frota F

Recentemente noticiamos também que a frota está passando por uma modernização e muitos entusiastas da frota estavam com saudades de vê-la circulando pela linha e acredito que por essa eles não esperavam.

Além da modernização tecnológica da Frota F, eles também receberão a nova cor e a nomenclatura Frota 500. A hora é muito bem-vinda, pois a coloração azul deles já está bem desbotada conforme visita ao Pátio Guido Caloi que fomos no início do ano.

Essa era a última frota de trens com a pintura padrão metropolitano (azul) do Metrô.

patio-guido-caloi-07
Frota F no Pátio Guido Caloi (Fernando Galfo)

Inauguração da Linha 5

Conforme antecipamos, a previsão de inauguração completa da linha havia ficado para agosto já na operação pela ViaMobilidade. Pelo que apuramos , oficialmente o prazo permanece inalterado mas sabemos que a Estação Santa Cruz tem grandes chances de ficar para setembro e quiça as outras estações tambem.

Sobre a Estação Moema, a intenção é ter horário integral no dia da inauguração da operação assistida das estações acima citadas.

Expectativas

Com o início da operação, a expetativa é que a concessionária traga todas melhorias para Linha 5:

  • Informar tempo de chegada dos trens nos monitores da plataforma assim como lotação de cada carro
  • Mais segurança nas estações
  • Reforma da Estação Santo Amaro
  • Trens Driverless (depende das portas de plataforma pelo Metrô)
  • Headway (intervalo entre os trens) baixo conforme projeto

Gostaria de deixar uma sugestão também, a concessionária poderia instalar nos carros da Frota 500, aquele laço cinza que fica no apoio de mãos pois facilita muito a viagem e evitar ficar com o braço muito levantado. Como chama aquilo hein??

Enfim, hoje é o primeiro dia apenas. Bem-vinda ViaMobilidade.

Fernando Galfo

É engenheiro por formação e entusiasta de obras de mobilidade urbana. Utiliza transporte individual na maioria das vezes mas acompanha e sabe da real e urgente necessidade de investimentos em infraestrutura e principalmente em transporte público aliadas com políticas públicas de redução da pendularidade do sistema de transportes

24 comentários

Clique aqui para deixar um comentário

    • Acredito que saiba que o período médio entre falhas está relacionado com o tempo de linha. Veja que a nova L4 já está começando a ter esse valor maior. A L5 é um pouco mais complicada com trecho de 2002 e trecho novo. No fim, a população no geral não entende muito da parte técnica então não dá para entrar tanto no detalhe. Enfim, uma empresa nova não vai ser boba de deixa de fazer seu marketing também. É um conjunto. O que nós passageiros temos que fazer é cobrar a excelência na operação.

  • Se o estado continuar patrocinando esse capitalismo sem risco, colocando meio bilhão de reais do Metrô estatal no Metrô privado, (que aliás ja ganhou tudo praticamente de graça, inclusive todo o know how) a exemplo do que foi feito recentemente, tudo será maravilhoso. Todavia, o Metrô estatal, patrocinador de todo o sistema e desenvolvedor do know how metroviario vai, a míngua, se deteriorando.

  • So promessa, hj a operacao da viamobilidade estava um caos,intervalos enormes,escadas rolantes dealigadas,funcionarios desinformados,caso continue assim acho que terei saudades do metro publico.

  • Hoje estava com maior tempo de parada entre as estações. Pareciam desconhecer a linha, inclusive, ouvi funcionários perguntando porque tanta gente ia para o carro da frente e outro explicando que é para facilitar o desembarque em Santo Amaro.
    Aguardando as melhorias

    • Para mim não faz sentido também. Facilitar o desembarque é andar menos e na muvuca? O ideal é embarcar no carro mais longe. Vai mais vazio, anda mais mas mais rápido e pega somente o final da muvuca.

  • É privatização, uma empresa buscando apenas o lucro. Diferente da linha 4, que já nasceu modernizada e otimizada, linhas antigas passadas pra iniciativa privada, que precisam ser modernizadas, que necessitam de uma operação BEM diferente do “know how” trago da linha 4, não trazem grandes expectativas. Pelo contrário, o governo está entregando uma linha de custo de 10 bilhões por 500 milhões, com promessa de investimento de 3 bilhões que muito provavelmente já começará a ser abatido de adesivajem de trens e música ambiente. Além das obras de infraestrutura que podemos esperar algum laudo técnico tornando-as inviáveis, um quadro menor de funcionários refletindo em menos segurança, entre outros problemas de tornar privado algo que era público.
    Fora os problemas da política tarifária diferenciada, que se reverte em rombos nos cofres do Metrô e da CPTM, explicando em parte a falta de modernização na operação dessas empresas.
    Abrangendo mais a discussão, é vergonhoso ver a CCR, que tem seus principais acionistas envolvidos em escândalos de corrupção e seu nome ligado à candidatura da situação do governo paulista, mais uma vez vencendo uma concessão no estado de São Paulo.

  • Espero que o som dos trens da frota F continue o mesmo (ou que não mude muita coisa) sou uma das pessoas que sente falta desses trem da Alstom! Amava ouvir eles na estação Largo 13! Espero que a Via Mobilidade administre bem a linha e traga melhoras significativas!

  • Com essas atualizações que serão feitas na linha, o trecho mais antigo (Capão – Largo Treze) vai estar incluido tambem? Por exemplo, a instalação das portas que nem nas novas estações?

  • Eu não consigo entender o motivo de se informar do tempo entre trens em um sistema que tem intervalos abaixo de 3-5 minutos. É uma perfumaria tão desnecessária quanto a música no Metrô e o marketing que somos obrigados a ficar olhando.

    • Ajuda os ansiosos. Sabendo o tempo é possível ir andando até o final de plataforma para embarcar no carro mais vazio ou até comprar um refri na máquina ou um pão de queijo – dá para ver o monitor do andar de cima =)

  • Quando em operação regular a L5 não demandará uma superlotação nas linhas azul e verde?
    Não existe a necessidade de uma linha circular em anel para aliviar o tráfego das demais linhas? Grato.

  • Aos sábados a Linha 5 – Lilás passou a operar até a uma da manhã. Estive neste sábado no trajeto entre as estações Eucaliptos e Brooklin, ambas perto de casa, e ao ver os portões abertos após à meia-noite paguei passagem e conferi ao vivo.
    No Instagram @thiagorodrigosp tem video do penúltimo trem chegando em Eucaliptos.

Follow on Feedly
error: Hum, não vale copiar né??