Linha 5 Metrô

Estação AACD-Servidor da Linha 5 Lilás terá portas de plataforma em julho

Portas de Plataforma da Estação AACD-Servidor da Linha 5 Lilás
Estruturas das PSD sendo instaladas

Há 5 anos atrás, em 12 de fevereiro de 2014, víamos encantados a primeira porta de plataforma da Linha 5 Lilás na inauguração da Estação Adolfo Pinheiro. A modernidade havia chegado a linha do Capão Redondo, mas o encanto durou pouco.

Talvez mais esperada que a inauguração da Estação Campo Belo da Linha 5 Lilás prevista para o próximo mês, as portas de plataforma (PSD) da Linha 5 Lilás são aguardadas desde 2017 quando algumas novas estações foram inauguradas sem elas em funcionamento.

As estações Brooklin e Santa Cruz foram inauguradas com apenas a estrutura montada. Já Adolfo Pinheiro, a PSD opera em modo de backup de acordo com o Metrô. Ou seja, não a integração com o sistema CBTC ainda não foi “ligada”. Nesse modo a porta detecta a abertura de fechamento das portas do trem utilizando sensores.

Atualmente as portas já instaladas estão em fase de comissionamento, ou seja, de acordo com essa apresentação da AEAMESP, o comissionamento é:

  • Assegurar o atendimento aos requisitos definidos em projeto
  • Atender as necessidades operacionais
  • Aplicável aos novos sistemas, aos processos de modernização e de atualização

São extensivos testes onde cada porta é testada individualmente e também o conjunto todo é testado.

Estação AACD-Servidor

Recentemente em nossas redes sociais antecipamos em dezembro de 2018 que a Estação AACD-Servidor seria a próxima a ter as portas de plataforma. Conseguimos fotografar as estruturas das PSD que estavam dentro de uma área fechada com tapumes na plataforma. Essa semana as estruturas começaram a ser montadas:

Estruturas das portas de plataforma da Estação AACD-Servidor da Linha 5 Lilás
Estruturas das portas de plataforma da Estação AACD-Servidor da Linha 5 Lilás

Vejam as fotos de dezembro:

Estação Campo Belo

Tivemos acesso a imagens das plataformas da Estação Campo Belo e pudemos notar que as borda das plataformas não possem piso assentado. Ou seja, ainda há possibilidade de que os trilhos das portas sejam instalados juntamente com a estrutura – não sei dizer sobre a probabilidade.

Hoje o consórcio Bombardier – na minha opinião – tem, em tese, acesso irrestrito à plataforma. A partir do momento que a estação for inaugurada, qualquer trabalho deverá ser feito de madrugada e com apenas 3 horas de trabalho. Muito pouco.

Temos ainda pouco menos 2 meses de trabalhos na estação – se manter o prazo de março – e esperamos que utilizem essa janela de trabalho “irrestrita” e instalem as estruturas das PSD na estação.

Cronograma das PSD

Pedimos via lei de acesso a informação (LAI) o cronograma completo de implantação das Portas de Plataforma da Linha 5 Lilás apresentado ao Metrô pela Bombardier. Confira:

1) Gostaria de saber qual é o cronograma (mês/ano) de implantação e funcionamento das portas de plataformas de todas as estações da Linha 5 Lilás.

Brooklin – Funcionamento previsto para fevereiro/19.

Santa Cruz – Funcionamento previsto para março/19

AACD-Servidor – Funcionamento previsto para julho/19

Para as demais estações a implantação se dará até dezembro/21.

2) No trecho antigo (Capão – Santo Amaro) quando está previsto o início das obras de reforço das plataforma e qual a previsão de término?

A implantação se dará até dezembro/21.

3) A responsabilidade de reforço das plataformas do trecho antigo é do Metrô ou do consórcio formado pela Bombardier?

A responsabilidade é da Bombardier.

4) A Bombardier está cumprindo o novo cronograma acordado ou será necessário rescindir o contrato?

A Bombardier está cumprindo o cronograma

5) Os pagamentos para o consórcio da Bombardier estão em dia? Se não, qual o valor pendente a ser pago? O atraso no pagamento é o motivo do atraso na implantação das portas de plataforma? 

O pagamento está em dia.

6) Qual o motivo alegado pelo consórcio da Bombardier para o atraso na implantação das portas de plataforma no trecho novo? e no antigo?

Dificuldade com o subfornecedor anterior, que já foi substituído.

7) Em Adolfo Pinheiro, as portas de plataforma está funcionando no modo de contingencia (detecta a abertura da porta via sensores) ou no modo de operação normal/automático? 

Está operando em sistema backup.

8) As portas de plataforma já implantadas funcionarão no modo de contingência ou no modo automático?

Sistema automático.  

Recurso

Entramos com um recurso sobre as respostas que citaram o ano de 2021 e por não fornecer as datas das outras estações – visto que as PSD Klabin estavam previstas para dezembro – e recebemos a seguinte resposta:

O cronograma citado, que foi objeto da resposta do Metrô, atualmente está em tratativas com a Contratada (Bombardier), uma vez que os prazos apresentados não atendem as metas da Companhia do Metrô. Desta forma não é possível informar, neste momento, as datas de implantação até que estas estejam compatíveis com as metas pré estabelecidas.

E sobre “se dará ate dezembro de 2021“, questionamos se era início ou término e foi respondido o seguinte:

O prazo informado na resposta do Metrô se refere ao término. Salientamos que a estratégia a ser adotada para realização das obras de reforço das plataformas será de acordo com o cronograma de implantação mencionado na pergunta 1.

Conclusão

Será que fechando a Linha 5 por um final de semana não seria suficiente para instalar todas estruturas nas estações novas? Afinal as bordas das plataformas das estações do trecho novo não precisam de reforço.

Nós usuários ainda teríamos a Linha 9 como alternativa. Acredito que o trade-off (custo aos usuários vs. benefício) é válido. Sobre o faturamento perdido da ViaMobilidade, põe na conta da Bombardier.

O título “cortado” foi proposital. Se leu até aqui, muito obrigado!

UPDATE: Obrigado as todos pelo feedback. Atualizei o título

Avatar

Fernando Galfo

É engenheiro por formação e entusiasta de obras de mobilidade urbana. Utiliza transporte individual na maioria das vezes mas acompanha e sabe da real e urgente necessidade de investimentos em infraestrutura e principalmente em transporte público aliadas com políticas públicas de redução da pendularidade do sistema de transportes

3 comentários

Clique aqui para deixar um comentário

  • Fernando, na estação Santo Amaro da Linha 5 Lilás existiam estruturas fixas metálicas como um gradil posicionados estrategicamente nas portas das composições quando os vagões paravam para o embarque e desembarque dos passageiros (Protegendo e controlando o fluxo), mas recentemente essas estruturas foram removidas pela ViaMobilidade. Talvez tenham retirado essas estruturas apenas por uma
    questão de padronização de Layout, pois somente em Santo Amaro existia tal estrutura nas plataformas. Fernando, por gentileza e aproveitando a oportunidade no espaço, você poderia fazer um artigo, pois tenho notado que é impossível utilizar o celular o celular nas novas estações subterrâneas da linha 5 Lilás do Metrô. Acredito que as estações foram inauguradas sem as torres ou antenas de transmissão dos 3g e 4g, mas essa facilidade e conforto já é uma realizada em muitas linhas do Metrô, como as linhas 1, 2, 3 e 4. Acho que daria um bom artigo esse tema. Obrigado e abraços.

    • Fizemos uma publicação sobre o assunto em nosso Facebook/Twitter. Muita coisa que publico não vem para o site. Inclusive sobre a retirada das grades de proteção e do sinal de celular

      • Legal Fernando, você deve fazer assim até pra dar uma sensação de conteúdo exclusivo e diferenciado em outras mídias, além da praticidade na divulgação da informação talvez. Obrigado por sua gentileza e atenção. Tentarei acompanhar as outras mídias do Ferroviando na medida do possível. Abraços

Follow on Feedly
error: Hum, não vale copiar né??