Linha 15 Linha 17 Linha 4 Linha 5 Metrô

Estação Campo Belo da Linha 5 Lilás em março de 2019

Capacetes com logo do Metrô
Foto: GESP

Recentemente postamos um artigo que mostrou que o Metrô assinou um aditivo de prorrogação de prazos das obras da Estação Campo Belo da Linha 5 Lilás.

Hoje no relatório de obras do Metrô de novembro a informação do prazo foi atualizada conforme prevíamos.

Estação Campo Belo da Linha 5 Lilás

Novo Viaduto

Postamos ontem em nossas redes sociais que foi iniciado o asfaltamento do viaduto fica sobre e é parte da futura Estação Campo Belo. A previsão contratual pelo que havíamos apurado era novembro. Em nossa opinião ainda há chances do viaduto ser liberado ao tráfego ainda em dezembro.

Novo viaduto sob Estação Campo Belo da Linha 5 Lilás (Leandro)

 

Linha 15

O relatório foi atualizado para incluir o novo prazo de outubro de 2019 as novas estações da Linha 15 Prata.

Linha 15 Prata

Linha 17

No mesmo relatório consta “Em programação” as estações do monotrilho Linha 17 Ouro.

Linha 17 Ouro

Linha 4

Sem mudanças de prazos. Vila Sônia continua para junho de 2020

 

 

Fernando Galfo

É engenheiro por formação e entusiasta de obras de mobilidade urbana. Utiliza transporte individual na maioria das vezes mas acompanha e sabe da real e urgente necessidade de investimentos em infraestrutura e principalmente em transporte público aliadas com políticas públicas de redução da pendularidade do sistema de transportes

31 comentários

Clique aqui para deixar um comentário

  • Queria sabe porque nenhum governador cumprir o que prometeu que o metrô da linha lilás ia chegar ate o campao redondo até o Jardim angela agora ta na 80 promessas do governador eleito João Doria

  • Se o metrô não cumpre o que promete, este novo Governador João Doria não cumprir também.

    Bem que ele Prometeu o Metrô no Jardim Angela, se eu conheço bem esse metrô e Governo no Jardim Angela não vai sair.

    O Governo não quer e o Metrô também não quer metrô nessa região infelismente.

      • Boa tarde Fernando

        Pode estar até nos planos do metrô porem, muito difícil do metrô querer tocar essa obra até o Jardim Ângela. Possa ser que daqui a uns 20 anos ele pense em fazer.
        Pois o Metrô vai preferir fazer obrar para regiões mais nobres.

        • Porque jardim é bairro de pobre e não de rico , e isso acontece em época de eleição para iludiram que pagam tão caro em uma passagem e nem conforto tem com funcionários decidindo qual vagão você vai embarcar como se estivesse pagando e sim pedindo carona, vai os usuários caminhar mais do que o necessários como por exemplo na estação chácara três escadas rolantes descendo e so uma subindo , copiou e colou as ideias. Responsável pela linha 5 lilás , o governo trocou 6.por meia dúzia igual diz o ditado popular

          • Trocou seis por meia dúzia não. A nova operadora é ruim mesmo. Só opera equipamento novo e moderno, com garantia de lucro as custas do Metrô estatal, capitalismo sem risco e com um serviço péssimo. Queria ver eles operarem linha velha com equipamento velho com princípios do verdadeiro capitalismo. Eles desistiriam. Só o Metrô tem Know How e capacidade para contornar a falta de suficiente investimento estatal para contornar situações difíceis.

          • Tadeu, falou pouco, mas falou mta abobrinha.

            Esse negocio de operadora ruim é falácia de esquerdista que perdeu a mamata.

            Mas a gestão do metrô está falida e com dinossauros que acham que estão na decada de 70.

            Governo não tem que administrar nada.

            é melhor JAIR se acostumando…

          • Fernando concordo com você que são a classe trabalhadora que usa o metrô das regiões mais nobres.
            Porem devido a falta de investimentos nessas regiões que mais necessita, a classe mais pobre paga a mais para trabalhar pois tem que pegar ônibus e metrô/trem

  • Fernando tem alguma previsão de entrega referente as duas estações na linha 9 esmeralda? e sem algum plano do metro de levar já nessa gestão João Doria Jr de estender a linha 4 até Taboão da serra?

  • Sobre a questão do prolongamento do metrô até o Jardim Ângela, acho que é preciso refletir bem sobre isso antes de qualquer conclusão.
    Primeiramente, como eu já disse aqui em outro comentário, não tenho a menor dúvida de que todos os moradores da cidade de São Paulo têm o mesmo direito a um transporte público de qualidade, independentemente da região onde vivem ou da sua condição social.
    Contudo, eu quero discordar de alguns argumentos sobre as prioridades de investimento em metrô.
    Consultando o site wikipedia, verifiquei que a Zona Sul de São Paulo tinha, em 2008, aproximadamente 2.250.000 habitantes. Em 2012, a Zona Leste tinha aproximadamente 4.600.000 habitantes, portanto mais que o dobro da Zona Sul. Temos que acrescentar a isso o fato de que, conurbados com a Zona Leste, há diversos municípios densamente povoados, como Guarulhos, por exemplo, que tem mais de 1.300.000 habitantes.
    Não sei como estão esses números hoje, mas posso garantir que a Zona Leste continua com mais que o dobro da população da Zona Sul. Também não tenho dúvidas de que a população da Zona Leste é a que mais se desloca a outras regiões da cidade para trabalhar.
    Entretanto, contando a partir da Estação Pedro II da linha vermelha, a Zona Leste tem 12 estações de metrô na linha vermelha, mais a Estação Vila Prudente da linha verde. Além dessas, há 5 estações em monotrilho da linha prata. Portanto, a Zona Leste tem, no total, 18 estações de metrô.
    E na Zona Sul, que, como já se disse, tem menos da metade da população da Zona Leste? Contando da Estação Tamanduateí, até a Estação Paraíso, temos 7 estações na linha verde. Contando da Estação São Joaquim, até Jabaquara, temos 11 estações na linha azul. Contando da Estação Chácara Klabin, até a Estação Capão Redondo, temos 16 estações na linha lilás. Somando todas essas estações teríamos o total de 34 estações de metro na Zona Sul de São Paulo. Mas não podemos esquecer de subtrair desse número as estações compartilhadas por duas linhas (Santa Cruz, Chácara Klabin, Ana Rosa e Paraíso – 4 estações), caso contrário haverá contagem em duplicidade. Então, chegamos à conclusão que a Zona Sul de São Paulo tem 30 estações de metrô. São 12 Estações a mais que a Zona Leste de São Paulo, mesmo tendo menos da metade da população daquela região!
    Mas poderíamos argumentar que passam pela Zona Leste três linhas da CPTM, a linha 10-Turquesa, a 11-Coral e a 12-Safira, o que poderia equilibrar essa disparidade de estações de metro. Mas vamos novamente analisar os números.
    A linha Turquesa tem apenas 2 estações na Zona Leste (Brás e Juventus-Mooca). A linha Coral tem seis (de Brás até Guianases) e a linha Safira tem 9 (de Brás até Jardim Romano), todas as outras estações dessas linhas da CPTM estão em outros municípios da Grande São Paulo.
    Então, a Zona Leste teria, ao todo, 16 estações da CPTM. Mas aqui também devemos excluir as estações compartilhadas pelas linhas, para não haver duplicidade. Assim, a Estação Brás, que server às três linhas, deve ser computada somente uma vez e a Estação Tatuapé, que serve às linhas Coral e Safira, também deve ser computada somente uma vez. Portanto, temos que a Zona Leste tem, na verdade, 13 estações da CPTM.
    E a Zona Sul? Contando da Estação Berrini (a primeira de um Subdistrito da Zona Sul (Itaim Bibi) temos que a Zona Sul tem 9 estações da CPTM na linha 9 – Esmeralda. Disto resulta que a Zona Leste de São Paulo tem 4 estações da CPTM a mais que a Zona Sul de São Paulo.
    Essas quatro estações da CPTM a mais certamente não servem para justificar o fato de a Zonal Sul ter, com menos da metade da população da Zona Leste, 12 estações de metrô a mais do que a região Leste.
    Colocados todos esses números na mesa, é preciso, a meu ver, questionar o seguinte: POR QUE TANTO INVESTIMENTO EM METRÔ NA ZONA SUL DE SÃO PAULO E TÃO POUCO NA ZONA LESTE? ISSO É JUSTO? POR QUE SE FALA TANTO EM EXTENSÃO DO METRÔ A TABOÃO DA SERRA OU JARDIM ÂNGELA E ETC? ONDE O METRÔ TRANSPORTARIA MAIS PESSOAS, NESSES LUGARES, OU NA VILA FORMOSA, NA VILA ARICANDUVA, NA VILA MANCHESTER, PENHA DE FRANÇA E TIQUATIRA?
    Repeitadas as opiniões em sentido contrário, eu acho isso um grande absurdo, uma nítida inversão de prioridades que OS NÚMEROS MOSTRAM.
    Na minha opinião a prioridade dos investimentos em metrô deveria ser a Zona Leste de São Paulo, qualquer conclusão diferente, para ser séria, teria antes que justificar porque a Zona Sul de São Paulo, com menos da metade da população, TEM 12 ESTAÇÕES DE METRÔ A MAIS DO QUE A ZONA LESTE.

      • A região periférica da Zona Sul merece metrô da mesma forma que a da Zona Leste. O Problema é que a região periférica da Zona Sul tem menos da metade da população da região periférica da Zona Leste (isso é incontestável, pode procurar em qualquer fonte de dados). Então depois que fizerem metrô na Zona Leste, onde tem muito mais gente, fazem na Zona Sul. Prioridade para quem precisa mais. Simples assim.

        • Realmente Dutra! A região leste está esquecida. Prova disso é a linha vermelha que parou em Itaquera. Essa estação foi inaugurada em outubro de 1988, data que tinha meses de vida, porém desde então mais nada aconteceu. Com relação a concentração populacional na periferia, realmente a Região Leste possui a maior de todo o Estado.

    • Ah, qta besteira. A Zona Leste tem 3 linhas de alta capacidade e uma de monotrilho recem inaugurada.

      Antes do monotrilho, sempre teve 1 linha de metrô e 2 de trem, sendo que uma delas é expressa e liga o extremo da ZL ao centro em 30 minutos.

      A Zona sul não tem nada, até poucos anos atrás, a unica linha que fazia a ligação com a amarela do metrô era a linha 9 da CPTM, pq a lilás era um ramal isolado….

      A linha 1 liga o norte ao sul, mas não atende ao GROSSO da demanda da zona sul que é muito maior em extensão territorial que a Leste, embora a leste seja mais populosa.

      Só agora que a zona sul tem mais opção, com a linha lilás ligando com as outras 2 linhas.

      Só as linhas 5 e 9 que vão mais ao fundão da zona sul.

      A Leste tem as linhas 3,11 e 12 que tb atendem a bairros dos extremos.

    • Dutra a zona leste tem mais pessoas sim concordo com você Porem não é essa diferença toda essa população da zona sul esta errado é muito maior, no Jardim Ângela tem quase 800 mil habitantes.
      Na zona leste se a linha vermelha parar você tem o trem, na zona sul de o metrô parar não tem pra onde correr.
      Realmente Guarulhos tem que ter metrô urgentemente.
      O trem já esta funcionando agora. Já ajuda mas o correto seria o metrô.

      • Rafael, eu procurei no site da Prefeitura pra ter mais informações sobre a população do Jardim Ângela. Encontrei nesse endereço: https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/subprefeituras/subprefeituras/dados_demograficos/index.php?p=12758.
        Na verdade, a população do Jardim Ângela em 2010 era de 295.434 habitantes. E certamente ainda hoje não chega nem à metade dos 800.000 que você falou.
        Sobre o argumento de que se a linha vermelha parar, você tem o trem como opção na Zona Leste, pode acreditar em mim: de qualquer jeito você enfrentará uma superlotação absolutamente humilhante. Isso eu enfrento todos os dias.
        Posso te garantir que ninguém da Zona Sul passa por isso, porque, como você mesmo disse, tem muito menos gente, além do fato de ter muito mais estações.
        Enfim, o que me parece é que o pessoal que mora em outros lugares da cidade raramente (ou nunca) passaram pela experiência de pegar transporte público na Zona Leste , para eles essa é uma realidade distante. Se esse pessoal visse o que nós na Zona Leste enfrentamos todos os dias talvez tivesse uma outra ideia.

          • Quando o metrô quebra, qualquer lugar é um caos, eu concordo com você. E já experimentei, várias vezes, a Estação Pinheiros em horário de pico sim, indo para e vindo da Estação Vila Olímpia. Na Pinheiros era difícil se locomover, mas ao chegar na plataforma da linha amarela ou na da CPTM, você consegue pelo menos entrar no trem/metro. Mas posso te garantir que essas dificuldades, nem sem comparam, por exemplo, ao que a gente enfrenta na Estação Penha ou Tatuapé às 7h00m, porque é SIMPLESMENTE IMPOSSÍVEL entrar nos trens da linha vermelha a essa hora, a não ser que você more em Itaquera.
            E se você está considerando a linha amarela como uma linha que passa pela Zona Sul, aí então não são 12 estações de metrô a mais na Zona Sul, mas pelo menos 20 estação a mais do que na Zona Leste.
            Mas veja, eu não estou tentando polemizar, a Zonal Sul e a Zona Leste, bem como as outras regiões, têm o mesmo direito a transporte público. Eu apenas quero manifestar minha opinião no sentido de que a Zona Leste (sem contar Guarulhos) tem muito mais gente que a Zona Sul (isso todos concordam nos comentários, unanimemente) e, por ter a maior parte da população da cidade, devia ter prioridade nos investimentos, mas não tem, não sei porque. É tratada como se não fosse parte da cidade de São Paulo.
            Te dou um exemplo: acabaram de concluir a linha lilás, ABSOLUTAMENTE NECESSÁRIA PARA A ZONA SUL, diga-se de passagem. E já há rumores de extensão até o Jardim Ângela. Ora, não seria o caso de concentrar os investimentos agora na extensão da linha verde até Guarulhos, ou no mínimo até a Penha, lembrando que os imóveis já foram desapropriados? Qual obra transportaria mais pessoas?
            A questão não é deixar de investir na Zona Sul, Oeste, Norte ou Leste, a questão é: prioridade para quem precisa mais. Essa é minha opinião, respeitando a de vocês.

  • Fernando

    Está reunião do metrô sobre a extensão da linha 2 verde até a Dutra não deveria partir por parte do governo para verificar qual obra tocar?

  • Olá Fernando,
    Você parece estar bem informado sobre as obras do metrô e em particular da linha 17. Como morador do Campo Belo e passando diariamente pelas obras, eu queria entender algumas questões:
    1. Porque em cada estação de metrô/monotrilho tem um prédio anexo, às vezes com vários andares? Não me parece que sejam todos necessários.
    2. Porque as obras das estações da linha 17 parecem ter uma evolução diferente uma das outras (algumas parecem estar paradas neste momento e outras já receberam até as passarelas sobre a avenida)?
    3. Porque o Governo e o Metrô são tão ruins em estimar os prazos de execução das obras? Não acertam nunca e o erro é sempre de anos, muitos anos.

Follow on Feedly
error: Hum, não vale copiar né??