CPTM Ferrovias

Doria foi até Brasília discutir Ferroanel e Trem intercidades

Reunião do Governador e Secretários com Ministros (Edsom Leite /Ascom)

O Governador João Doria foi hoje até Brasilia junto com o Secretário dos Transportes Metropolitanos Alexandre Baldy e o Secretário de Logística e Transportes Octaviano Costa para se reunir com o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes e o Ministro da Economia Paulo Guedes para obter recursos para a construção do Ferroanel Norte e de duas linhas dos trens intercidades (TIC), um na região Metropolitana de Campinas e o outro no Vale do Paraíba.

Reunião Ferroanel e Trem Intercidades (Edsom Leite - Ascom)
Reunião Ferroanel e Trem Intercidades (Edsom Leite – Ascom)

Após a reunião o ministro Tarcísio Gomes fez uma coletiva: “tivemos uma reunião com o Governo do Estado de São Paulo extremamente objetiva e produtiva. Falamos do Ferroanel, do Trem Intercidades e da Rio-Santos. São projetos que vamos conduzir a quatro mãos e tenho certeza que serão muito bem sucedidos. O Ferroanel será viabilizado a partir da renovação do contrato de concessão da MRS. O trem intercidades também será uma licitação privada onde vai haver compartilhamento das linhas que já existentes. Vamos endereçar isso tecnicamente. E a Rio-Santos será feita dentro do que será a nova concessão da Nova Dutra”

Quando questionado sobre o compartilhamento de vias o ministro respondeu: “é questão de acordo de operação. Nós temos capacidade para acomodar o trem de passageiros“. Sobre a previsão disse que agora então serão construídos os cronogramas.

Doria complementou: “os próximos passos já estão definidos. Agora é obediência ao prazo e dar sequencia aos entendimentos. Nós temos os líderes de cada área, por parte do Ministério a definição dos lideres e do Governo do Estado de São Paulo também. Por isso que viemos com os secretários para que a informação pudesse permear rapidamente e iniciarmos de imediato como de fato vai ocorrer a prática dessa integração. Sentimento de harmonia e integração absoluta

Em julho de 2018 o Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) aprovou que a concessionária, a MRS Logística, investisse cerca de R$ 5 bilhões na construção do trecho norte do Ferroanel, como contrapartida pela renovação da concessão.

Licença Ambiental

No último dia útil de dezembro de 2018 foi publicado no Diário Oficial que a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB) concedeu para Empresa de Planejamento e Logística (EPL) a licença ambiental prévia do Ferroanel Norte.

Licença Ambiental Prévia Ferroanel

Em 3 de janeiro de 2019, a EPL foi vinculada do novo Ministério da Infraestrutura. Esse novo ministério instituído pela Medida Provisória (MP) 870 que deu novas atribuições e alterou o nome do antigo Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. O engenheiro civil Tarcísio Gomes de Freitas é o responsável pela pasta.

Ferroanel

O Ferroanel Norte será um ramal ferroviário de 53 quilômetros de extensão e sua implantação possibilitará que os trens de carga que hoje compartilham os mesmos trilhos com os trens da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) sejam desviados.  Com isso a liberação dos trilhos atuais para uso exclusivo da CPTM permitirá a redução do intervalo entre os trens, a implantação de novos sistemas de sinalização e melhoria das estações ferroviárias – dentre elas a redução do vão entre o trem e a plataforma sem utilizar borrachões.

Vejam detalhe do traçado abaixo. Para esclarecimento OAE são Obras de Arte Especiais tais como pontes, viadutos e túneis.

Traçado do Ferroanel Norte

Terá 13 túneis, totalizando 17 km, e 40 obras-de-arte especiais (OAE) de 12,4 km. Os trechos em corte e aterro correspondem a 23,5 km do traçado. Não está prevista a implantação de estações, pátios, oficinas, postos de abastecimento ou estaleiro de soldagem de trilhos.

Recentemente publicamos que o foi projeto de engenharia do Ferroanel estava em seu 7º aditivo

Em novembro o Conselho Estadual do Meio Ambiente havia dado parecer favorável ao empreendimento:

Considerando que se trata de obra de utilidade pública com benefícios estratégicos para o sistema de transportes e para a logística do Estado de São Paulo, e que os potenciais impactos ambientais poderão ser mitigados com a devida implementação dos Programas Ambientais propostos e solicitados no Parecer Técnico 450/18/IE, a equipe técnica da Cetesb conclui que o empreendimento é ambientalmente viável. Nestes termos, submete ao CONSEMA para apreciação e deliberação sobre a viabilidade ambiental da Tramo Norte do Contorno Ferroviário da Região Metropolitana de São Paulo – Ferroanel Norte, sob responsabilidade da Empresa de Planejamento e Logística S/A – EPL.

Vídeo da DERSA detalhando o traçado. Nele é possível ver os locais que serão paralelos ao Rodoanel.

Fernando Galfo

É engenheiro por formação e entusiasta de obras de mobilidade urbana. Utiliza transporte individual na maioria das vezes mas acompanha e sabe da real e urgente necessidade de investimentos em infraestrutura e principalmente em transporte público aliadas com políticas públicas de redução da pendularidade do sistema de transportes

6 comentários

Clique aqui para deixar um comentário

  • Essa do trem intercidades só acredito quando sair do papel. De qualquer forma pelo menos há algum fiozinho de esperança pra que isso aconteça.

  • As duas obras são de extrema importância para o estado, principalmente o Ferroanel, melhorará e muito os serviços prestados pela CPTM.
    Agora falando sobre o Trem Intercidades que é uma obra que agilizará no deslocamento das cidades que serão beneficiadas, o fato dos trens compartilharem a via (provavelmente com os trens de carga) não fará com que um serviço acabe prejudicando o outro? Seria interessante que nenhum dos modais interferisse na operação de ambos, entretanto sabemos que assim foi sugerido para viabilizar a obra devido ao seu alto custo de implementação. Agora vamos a um dos pontos que eu julgo ser importante também: Estação! Algumas estações terão que ser reconstruídas, como a estação Terminal Luz, há alguma previsão para ela? A estação já está bem saturada com todos os serviços ofertados, será que ela será reconstruída em um novo local? Ou melhor, desativada e uma nova ser erguida em outro lugar? E como será o sistema desses trens? Média velocidade igual aos da CPTM ou TAV? Acredito que é sonhar alto um TAV nos trens regionais, contudo seria uma evolução enorme, agilizaria muito mais a viagem.
    Desde já agradeço pelo texto Fernando, suas matérias sempre são ótimas!!!

Follow on Feedly
error: Hum, não vale copiar né??