CPTM Linha 4 Linha 5 Linha 9 Metrô

O futuro impacto da Linha 5 Lilás em nossa rotina diária

Entrada da Estação Santa Cruz da Linha 5 Lilás
Entrada da Estação Santa Cruz da Linha 5 (Fernando Galfo)

Nossos colegas do ViaTrólebus fizerem hoje um artigo bem interessante dos motivos da inauguração da Linha 5 Lilás ser tão aguardada pelos paulistanos.

Aproveitando o gancho do artigo dele, gostaria de trazer mais alguns benefícios além do que eles citaram:

  • Headway: Hoje o intervalo médio da Linha 9 é bem maior que o da Linha 5, então você tem o benefício de ficar menos tempo esperando na plataforma.
  • Obras de final de semana: os usuários da Zona Sul agora têm a alternativa da Linha 5 para evitar os altos headways de 15min quando há obras de melhoria na CPTM aos finais de semana. Obviamente quem vem de Grajaú ainda está dependente da Linha 9.
  • Viajar sentado: usuários embarcando em Capão, poderão ir sentados durante toda a viagem até Chácara Klabin, não precisando pegar a espremida integração da Linha 9 Esmeralda na lotada Estação Santo Amaro nem a profunda integração da Linha 4. Só esse já é um baita ganho. O inverso também vale pois muito provavelmente terão trens estratégias (vazios) em Chácara Klabin.
  • Fila de ônibus: Evitar o congestionado corredor de ônibus da Av. Ibirapuera e aquela fila gigantesca de ônibus.
  • Viagem mais rápida: quem vai para a paulista ou centro, chegará bem mais rápido usando a Linha 5, não precisando dar uma volta grande para ir até a Estação Pinheiros da Linha 4.
  • Menos integrações: quem inicia sua rotina diária na Linha 5 antes de Santo Amaro, fará menos integrações para chegar na Paulista. Hoje tem que descer em Santo Amaro na Linha 5, depois descer em Pinheiros na Linha 4 e depois descer em Consolação na Linha 2. Com Estação Chácara Klabin inaugurada, só precisará fazer UMA integração. Vale o mesmo para quem vai até o Centro em direção a Linha 1. Só fara a integração na Estação Santa Cruz. Vale o mesmo para a volta.
  • Estações mais agradáveis: querendo ou não as Estações da Linha 5 Lilás são bem mais agradáveis que a da Linha 9. Não só visualmente e conforto, mas também a questão do odor do Rio Pinheiros no verão. A continuação da reforma da Estação Pinheiros da Linha 9 ainda está aguardando verba. E pelo informado pela CPTM, a reforma não consta no orçamento de 2019.
  • Comércio ilegal: para alguns é um benefício mas para outros não. Independente de apoiar ou não o comércio ilegal, é uma prática que não pode e a concessionária está atuando ativamente na questão.

Obras da Linha 5

O último prazo oficial para entrega das próximas estações da Linha 5 Lilás era 20 de setembro. Foi ontem.

Ontem a única novidade que teve foi o teste do carrossel com os trens indo até Chácara Klabin, mas sendo evacuados em AACD-Servidor – novidade foi o novo letreiro.

Letreiro Chácara Klabin do trem na Linha 5 Lilás
Letreiro Chácara Klabin

Pelo que eu soube, alguns problemas foram encontrados no teste. Resta saber agora se terão mais testes e se os problemas encontrados podem impactar no prazo de inauguração. Sou a favor de mais testes e a solução completa do problema. Acredito que concessionária Via Mobilidade não irá aceitar a linha com o tipo do problema encontrado. Devem estar levando em conta os prós e contras de receber a linha com ressalvas e começar o “faturamento” das estações e posteriormente corrigi-los correndo o risco de impactar na operação comercial.

Portas de plataforma

Soubemos que a Estação Chácara Klabin não terá portas de plataforma instaladas nesse momento. Somente a Estação Santa Cruz e ainda sim não será funcional na inauguração.

Enquanto isso as portas de plataforma (PSD) da Estação São Paulo Morumbi da Linha 4 já estão sendo testadas. Lamentável. Atualização: na linha 4 é obrigatório ter as portas de plataforma pois os trens são driverless, ou seja, não tem o operador de trem.

E sim, as PSD não são obrigatórias na Linha 5. Mas é frustante saber que as obras da estação estão há anos sendo feitas e a Bombardier não consegue cumprir o contrato.

Avatar

Fernando Galfo

É engenheiro por formação e entusiasta de obras de mobilidade urbana. Utiliza transporte individual na maioria das vezes mas acompanha e sabe da real e urgente necessidade de investimentos em infraestrutura e principalmente em transporte público aliadas com políticas públicas de redução da pendularidade do sistema de transportes

35 comentários

Clique aqui para deixar um comentário

  • Acrescentando mais um item para quem vai para a linha 2:

    – A baldeação na estação Chácara Klabin será de apenas 2 lances de escada contra os 6 de Pinheiros, fora o conforto da baldeação para a linha 2 que dispõe de plataformas bem largas.

    O único ponto negativo será nos horários de pico da manhã, qdo os trens da linha 2 vindo de V.Prudente chegam na estação superlotados.

    Talvez o metrô coloque trens vazios de estratégia partindo de lá,mas só vendo na prática como vai ficar.

  • Fernando, o bom é que da Paulista até Chácara Klabin são apenas 3 estações (Ana-Paraíso-Brigadeiro). Mesmo que venha lotado, o trajeto é pequeno.

    O grande problema, ao meu ver, é Santa Cruz pois até o centro (Sé) são 7 estações e quem pega essa linha nos dois sentidos (Tucuruvi-Jabaquara) sabe o quanto é sofrível o trecho Luz-São Bento-Sé. Tem dias que para o trem percorrer essas 3 estações demora 15 minutos.

    Mesmo que isso cause um impacto negativo no sobrecarregamento das linhas 1 e 2, a cidade terá um GRANDE benefício com 5 linhas de alta capacidade interligadas (linhas 1, 2, 3, 4 e 5) atuando nos extremos da cidade.

    O quanto antes o Metrô se livrar das obras da Linha 5 mais chances teremos de ver as atenções voltadas para a expansão da Linha 2-Verde, retomada da construção da Linha 6-Laranja e conclusão da Linha 15-Prata.

    • Minha opinião, é que o metrô corre um grande risco operacional na linha 1. Uma super demanda (L5) para uma linha que trabalha perto de seus limites como é o caso da linha azul, pra mim é apostar alto para que dê certo!
      Ao meu vê, a L5 deveria ser projetada além de Chac. Klabin, indo até o centro, até a Pedro 2° por exemplo..
      Assim, não necessariamente, um número tão elevado de passageiros fariam transferência na Santa Cruz..
      Não digo nada, se mais a frente saia um projeto similar ( emergência) de expansão da linha 5, no sentido de ” salvar” a linha 1.

      • Fernando, sei que o metrô tem uma Previsão de 100.000 passageiros por dia na Chácara Klabin. Você saberia informar a previsão do metrô quanto as transferências na estação Sta. Cruz?

      • Com Certeza seria algo fantástico para todos!!
        Não só pra quem já “pega” essas linhas, que teria 1 excelente opção de chegar ao centro ou à linha 3, como também para quem quisesse se dirigir para as 3 ou 4 estações que estariam nesse “Miolo”

  • Outra fato, que no futuro com a inauguração da linha 15 prata, quem necessita ir de São Mateus a Santo Amaro não terá a necessidade de pegar um ônibus até a Linha 3, pegar a Linha 4 e Linha 9 ou 5110-10 (que é a linha de ônibus mais demandada de São Paulo), Linha 2 Verde, Linha 4, e Linha 9.

  • Pego o metrô na Chácara Klabin todos os dias para ir ao trabalho. O trem vem lotado e muitas vezes não consigo entrar, tendo que esperar 3 ou 4 trens pra conseguir um lugar. É certo que muita gente vai vir da linha 5 pra se dirigir até a Paulista. Prevejo o caos !!!!
    Se ficar ruim, volto a colocar meu carro na rua novamente !!

  • Faltou explicar no texto a correlação entre as portas de plataforma (PSD) da L4-Amarela em SãoPaulo-Morumbi e as demais da L5… Como a operação da L4 é 100% driverless (sem Operador de Trem na cabine), a porta plataforma na L4 é um item obrigatório. Sem ela, não se pode operar a L4 justamente porque os trens não tem condutor fixo na cabine. Já a L5-Lilás, mesmo também operando o sistema de controle de trens CBTC, ela possui o condutor (maquinista) fixo na cabine. O mesmo ocorre com os trens da L2-Verde.
    Concordo que com/sem condutor na cabine, as portas de plataforma são importantíssimas e deveria ter em todas as estações do sistema, tanto é que o Metrô abriu licitação para instalá-las em outras estações das Linhas 1-2-3. Mas queria fazer este adendo ao texto para deixar claro a diferença para os leitores leigos nessa parte “técnica” da operação (porque pode aqui e não pode lá). Abraços!

  • Vai melhorar bastante desde que o intervalo entre os trens seja adequado com a demanda de passageiros, pois no horário de pico o metrô já é superlotado ja na primeira estação (Capão Redondo), imagine quando inaugurar as estações Santa Cruz e Chácara Klabin, visto que irá aumentar e muito a demanda!

  • Sem duvida vai haver uma distribuição no fluxo metroferroviario. A linha 9 será a mais beneficiada, mas com certeza as linhas 1 e 2 ficarão sobrecarregadas. Acredito que os trêns estratégia não serão sufuciente para esse aumento de demanda, pois estamos falando de uma região populacional grande – no caso Capão Redondo e Campo Limpo. São Paulo tem que correr para implantar o sistema CBTC nessas linhas. Pois somente esse sistema pode diminuir o intervalo dos trens.

  • Só temos um detalhe…a linha 1 Azul e linha 2 Verde estão preparadas para este aumento de fluxo de pessoas em suas operações e capacidades nas plataformas e trens?
    Hoje temos um caos logístico de trânsito de pessoas nas baldeacoes entre as linhas 1 Azul, 4 Amarela e CPTM na estação da Luz, principalmente nos horários de pico.
    O mesmo podemos dizer na baldeação entre as estações Paulista (Linha 4 Amarela) e Consolação (Linha 2 Verde) nos corredores e esteiras entre as estações…um caos total nos horários de pico.
    O mesmo acontece na estação Ana Rosa (Linha 1 Azul e 2 Verde)…super lotação nas plataformas da linha 1 Azul.
    Como será essa logística de pessoas nas baldeacoes e nas lotações em plataformas e trens nas estações Santa Cruz e Chácara Klabin? Será que foi-se pensado nisso? Dúvida!!!

  • Sr. Fernando coloque nos seus comentarios que nos moradores de Santo Amaro estamos aguardando esta linha ha 30 anos. Nao foi porque a Copa ou outro motivo. Faz 30 anos. Antes tarde……

  • Algo que ninguém comentou aqui.
    O GP de F1. Creio que o primeiro grande teste da L5 completa, a despeito de Campo Belo.
    Seria possível até um trem expresso F1 saindo de Klabin/Santa Cruz sem escalas até Santo Amaro ou é sonhar demais?
    Sendo assim, Interlagos é logo ali.

  • Infelizmente por causa da corrupção, da economia do país, entre outros motivos, essas linhas demoram muito para serem concluidas. Mas temos que enxergar a importância delas.
    Melhoram o fluxo de viagens da população e consequentemente, com o passar dos anos, modificam o cotidiano da cidade.

  • A L9 tem um intervalo bom dentro do Loop nos horários de pico. E vale lembrar que um trem da CPTM tem capacidade de transportar uns 1000 passageiros a mais por viagem. Vejo a L5 como alternativa e melhor distribuição de fluxo. Santa Cruz terá escadas como em Pinheiros. Mas o mais importante é que teremos mais duas estações de conexão na cidade. Que o município passa a ter mais trilhos em sua rede (independente da operadora) e que em um futuro próximo a L17 Ouro será outra soma a essa realidade que se aproxima.

  • Apesar dos receios quanto à sobrecarga nas linhas 1 e 2 por conta do aumento de fluxo (espero que Metrô e Via Mobilidade já estejam prontas pra enfrentar isso, torço muito para que esta integração aconteça logo. Vai ajudar demais. Redistribuir o fluxo. Criar novas alternativas. Lembro do dia que eu estava nas proximidades da estação Alto do Ipiranga, e precisava ir ao Shopping Morumbi. Pra não dar aquela volta pela Paulista, peguei um ônibus até o Shopping Ibirapuera, pra poder embarcar na linha 5 em Eucaliptos e chegar no shopping. E durante todo o trajeto, só pensava “Se a linha estivesse pronta, seria tão mais fácil”. Agora, contar os dias.

Follow on Feedly
error: Hum, não vale copiar né??