Metrô

Metrô estuda instalação de sensor de presença de usuário entre portas de plataforma e os trens

Metrô portas de plataforma na Linha 2 Verde
Portas de Plataforma na Linha 2 Tamanduateí

Foi publicado hoje no Diário Oficial o chamamento público com o objetivo de “obter subsídios e informações técnicas para apresentação de solução técnico operacional de sensor de presença de usuário presente no vão entre o trem e a porta de plataforma, através de implantação de sistema protótipo em uma estação da Linha 2

As propostas deverão ser entregues no Metrô na Av. Francisco de Paula Quintanilha Ribeiro, até às 17h00, do dia 14/03/2019.

A instalação das PSD já foram iniciadas na Linha 2 Verde conforme publicamos.

De acordo com a especificação técnica o objectivo é instalar fibras ópticas paralelas ao chão, na região entre a PSD (Porta de Plataforma) e o trem, ao longo de toda borda de plataforma.

A ideia é monitorar a presença de usuário no vão para que a partida do trem seja impedida.

De acordo com o Metrô, essa tecnologia é conhecida como DAS (Detecção Acústica Distribuída) que por meio de algorítimos especialmente desenvolvidos fazem a detecção em tempo real.

O Metrô cita os motivos para tal tecnologia:

  • alta confiabilidade para detectar com segurança e evitar falsos positivos
  • não implica em instalações numerosas e complexas de sensores
  • não é sensível a poeira e umidade
  • não é sensível a geometria de posicionamento
  • possui manutenção otimizada
  • possibilidade de precisar o local onde foi detectado a presença do usuário, através da posição relativa ao ponto “sensibilizado” na fibra óptica

Ainda na especificação, o Metrô reconhece a inexistência de produtor comercial para atender esse fim específico e que o chamamento “visa o desenvolvimento de um produto ainda não utilizado comercialmente para esse fim e com potencial de mercado mundial, pois não há muitas soluções desenvolvidas

Os testes dos protótipos tem duração de 90 dias podendo ser prorrogar ou reduzido.

Veja algumas das imagens disponibilizadas na especificação técnica:

Avatar

Fernando Galfo

É engenheiro por formação e entusiasta de obras de mobilidade urbana. Utiliza transporte individual na maioria das vezes mas acompanha e sabe da real e urgente necessidade de investimentos em infraestrutura e principalmente em transporte público aliadas com políticas públicas de redução da pendularidade do sistema de transportes

2 comentários

Clique aqui para deixar um comentário

Follow on Feedly
error: Hum, não vale copiar né??