Linha 1 Linha 2 Linha 3 Metrô

Iniciada as obras das portas de plataforma da Linha 2 Verde

Nova borda de plataforma para instalação das PSDs

Atualmente implementado na Linha 2 Verde, o novo sistema de sinalização CBTC (por sua sigla do inglês Communications-Based Train Control, em tradução livre, Controle de Trens Baseado em Comunicação) tem previsão de ter sua versão final do software para 2019.

A instalação do CBTC foi contratada em 2008 por R$ 780 milhões com finalização prevista 2011 para as 3 primeiras linhas do Metrô. Por causa dos atrasos, o Metrô aplicou a partir de 2012 multas de R$ 78 milhões e ameaçava romper o contrato.

Por outro lado, a Alstom alegou que o Metrô não fez as obras físicas nas três linhas para que o sistema fosse implantado. Metrô e Alstom resolveram usar da arbitragem em 2013. Em 2015 pediram a suspensão da arbitragem porque foi realizado um acordo, que foi homologado em início de 2016 e prevê como prazo final de implantação 2021.

Conforme publicação do Diário Oficial de 28 de fevereiro de 2018 o prazo final de 2021, mas em uma entrevista à rádio Jovem Pan em julho, o Secretário de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, disse que a previsão de instalação do CBTC para a Linha 1 é 2019 e para a Linha 3 Vermelha é 2020.

Atualmente somente a Estação Sacomã, Tamanduateí e Vila Prudente tem portas de plataforma instaladas.

CBTC Metrô

Em novembro o Metro pretende licitar a instalação de portas de plataformas nas Linhas 1 Azul, 2 Verde e 3 Vermelha conforme publicamos recentemente. Nesse edital somente a Estação Paraíso e a Estação Consolação da Linha 2 Verde terão as PSD pois já existe esse contrato um contrato vigente para as outras estações da Linha.

Obras

Recebemos a dica do nosso leitor Guilherme Forte que viu obras acontecendo na plataforma da via 1 da Estação Vila Madalena no sábado por volta das 23h. A plataforma estava interditada e haviam operários quebrando o granito que fica entre o trem e o piso emborrachado. Confiram a foto dele:

Obras das Portas de Plataforma em Vila Madelena (Guilherme Forte)
Obras em Vila Madelena (Guilherme Forte)

O Ferroviando foi hoje durante o almoço (almoçar para que né?) conferir como ficaram as plataformas e constatamos que realmente a obra de quebra do piso já estava pronta e notamos marcações na plataforma. Muito provavelmente marcações que irão balizar a instalação.

Em conversa com funcionários, a obra começou sábado, dia 27 e a ideia é seguir realizando as obras estação por estação aos finais de semana e a próxima será a Estação Sumaré.

Confiram:

 

Avatar

Fernando Galfo

É engenheiro por formação e entusiasta de obras de mobilidade urbana. Utiliza transporte individual na maioria das vezes mas acompanha e sabe da real e urgente necessidade de investimentos em infraestrutura e principalmente em transporte público aliadas com políticas públicas de redução da pendularidade do sistema de transportes

10 comentários

Clique aqui para deixar um comentário

  • Sei que as portas são importantes para a segurança mas vão fazer as obras de artes “sumirem” da visão dos passageiros que esperam as composições em algumas estações como Sumaré, Trianon e etc….

  • Deixo aqui uma indagação:

    Quanto tempo de operação dos trens sob o sistema CBTC será necessário para que os ganhos de headway compensem os atrasos e interrupções ocasionados durante sua implementação?

    Por mais sofisticado que o CBTC seja, no mundo todo ele basicamente não passa de um conjunto de protótipos, cuja execução sempre sai muito mais caro que as estimativas mais generosas, além de ocasionar todo tipo de inconveniências aos usuários durante sua instalação.

    Além do mais, dada sua natureza, é muito mais adequado à linhas sem integrações (como os people-movers e linhas com término em aeroportos na Europa), uma vez que os ganhos com headway durante a operação de uma linha podem ser mitigados por atrasos em outras linhas, que ocasionem o aumento geral do intervalo das composições.

    Exemplos de tradicionais malhas ferroviárias que resistem ao CBTC são os metrôs de Lisboa (cujas linhas nunca têm mais de 2 estações para integração) e Nova Iorque ( com CBTC em duas linhas sem conexão direta ao restante da malha), que estão apenas agora experimentando com o sistema, a custos altíssimos, aliás.

    As portas de plataforma eu até vejo com bons olhos, dada a propensão dos paulistanos de se jogarem nos trilhos hodiernamente.

  • Tem que colocar portas em TODAS as linhas de metrô sem exceção, assim as pessoas param de se suicidar lá! Só quem ja viu uma cena chocante como essa sabe do que eu estou falando, passou da hora, além disso é de extrema importância segurança para nós usuários.

  • Estou um poco confuso, então já havia um contrato de PSD’s para toda a Linha 2- Verde junto com as estações terminais das 1 – Azul e 3 – Vermelha?

Follow on Feedly
error: Hum, não vale copiar né??