Linha 1 Linha 2 Linha 3 Metrô

Metrô divulga esclarecimentos da audiência pública das PSDs e confirma edital em 1 mês

audiencia_publica_portas_de_plataforma
Instituto de Engenharia (Fernando Galfo)

Conforme noticiamos recentemente, o Metrô realizou audiência pública referente a contratação de portas das plataforma (PSDs) para as linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha usando saldo financeiro das obras do Linha 5-Lilás.

Hoje o Metrô divulgou os questionamentos realizados na audiência pública e questionamentos recebidos por e-mail. Separamos algumas perguntas que o blog fez e de outros participantes.

Um informação importante que adianto das perguntas abaixo é que a implantação de PSD nas estações de ponta da Linha 1 e 3 fazem parte do escopo de outro contrato.

 

Metroeng: A licitação será dividida em lotes ou lote único?

R: A licitação será realizada por lote único.

Peter Alouche P.A: Com as portas de plataforma instaladas nas linhas 1 e 3 estaria previsto a transformação das linhas em UTO (unattended operation) ?

R: As PSD estão sendo contratadas pelas justificativas expostas na apresentação: redução de acidentes com usuários e melhora no desempenho operacional na circulação dos trens.

Headwayx Engenharia: A opção por portas de plataforma altas é plenamente justificável em cidades que tenham temperaturas muito baixas no inverno, evitando assim que a temperatura nas plataformas sejam afetadas pelo efeito pistão. A questão é: O que justifica a exigência de plataformas altas no caso das linhas 1, 2 e 3, lembrando que as portas altas são caras e dificilmente modulares?

R: As características operacionais do Metrô de São Paulo demandam por portas altas pelos seguintes motivos: a possibilidade de que todos os Painéis sejam móveis, o que facilita a evacuação dos usuários e permite fácil acesso aos comandos externos de portas e freios dos trens; melhor segregação da plataforma em relação à via e; os mecanismos na parte superior ficam melhor abrigados em relação à umidade e padronização com as outras portas do Metrô de SP.

Ferroviando: Quais lições aprendidas com os contrato da Bombardier da L5 e da Trends Poscon da Linha 3 (o primeiro mais de 3 anos atrasos nas estações existentes e o segundo suspendo em 2011) podem ser usadas nesse edital das PSD das Linhas 1, 2 e 3?

R: Maiores conhecimentos das características do sistema de Portas e do seu processo de implantação.

Ferroviando: Não seria interessante a contratação de um seguro para o contrato afim de garantir que a instalação seja realmente feita e não aconteça o mesmo que na L5 e na L3?

R: No contrato haverá a previsão de garantia de execução contratual , bem como de sanções para o caso de descumprimento contratual.

Ferroviando: Será feito um estudo de quais estações suportam o peso extra das portas de plataforma? Em estações elevadas isso é um complicador.

R:  Essa avaliação faz parte do escopo do fornecimento.

Ferroviando: Será feito um estudo de quais estações tem folga na capacidade elétrica para alimentar as PSD? A redução da demanda de energia por ar-condicionado por causa das portas (menor circulação de ar) , seria equivalente a demanda de energia pelas PSDs?

R: Pergunta 1: Sim. Pergunta 2: Não se aplica às instalações do Metrô de SP.

Ferroviando: Com isso em mente e sabendo que a calta de energia elétrica é um custo operacional significativo para o Metrô e energia significa melhor oferta aos usuários tanto de headway quanto disponibilidade de trens, a frenagem regenerativa seria algo “obrigatório” no futuro?

R: O questionamento não tem relação com esta contratação.

Ferroviando: É possível instalar as PSD em estações tombadas? Já existe alguma conversa em andamento com o CONDEPHAAT . Isso pode vir a ser um empecilho?

R: Neste momento não há empecilhos à contratação com relação ao tombamento de estações.

Ferroviando: Qual será o prazo contratual de manutenção das PSD? O CBTC é um sistema proprietário e em 20, 30 anos, os equipamentos atuais podem não ser mais fabricados e/ou não façam mais a manutenção. Como garantir o pleno funcionamento sem ficar “refém”?

R: Não há previsão de contratação de manutenção das PSD. O CBTC não é escopo desta contratação.

Ferroviando: Porque as estações pontas das linhas 1 e 3 não terão as PSDs ? Se a questão é custo, não deveria ser ao contrário então? As de ponta da linha são as mais movimentadas e deveriam ter prioridade e posteriormente as menos movimentadas? O intuito principal das portas e conforme prometido pelo presidente do Metrô a população era também a prevenção de acidades como a mulher que foi empurrada para os trilhos em janeiro/2018.

R: A implantação de PSD nessas estações já fazem parte do escopo de outro contrato.

Ferroviando: As estações pontas de linha farão parte de um aditivo posterior ou será feita nova licitação? Caso for uma nova licitação, há grandes chances de um outro fornecedor ganhar e ficar com equipamentos diferentes/fora do padrão da linha e que precisem de manutenção/treinamento diferentes desses do edital que será publicado nos próximos meses. Caso for por aditivo , respeitando os 25% da lei 8.666 e usando a equivalência do custo por quantidade de fachadas, teríamos uma estimativa de 88 fachadas * 25% = 22 fachadas. O suficiente para atender as estações faltantes . Qual será o procedimento adotado pelo Metrô ?

R: Vide resposta da questão anterior.

Ferroviando: Como garantir que no momento do início dos trabalhos todos os trens das linhas 1, 2 e 3 já estarão adaptados para o CBTC? Sem eles não tem como operar as portas. Há previsão de término da modernização?

R: O CBTC não é escopo desta contratação.

Faiveley Transport do Brasil: Onde se diz que faz parte do escopo a integração com o sistema de sinalização , poderiam confirmar se o sistema de sinalização das Linhas 1, 2 e 3 estará apto a realizar interface com o sistema de portas de plataforma?

R: Detalhes das características técnicas do Sistema estarão disponíveis na Especificação Técnica que acompanhará o edital.

Faiveley Transport do Brasil: Em qual data pretende se lançar o edital?

R: A previsão é divulgar o edital no prazo estimado de 30 dias da realização da audiência pública.

Faiveley Transport do Brasil: Qual a fonte dos recursos para tal investimento?

R: Serão provenientes do ressarcimento de despesas ocorridas com a Linha 5 – Lilás do financiamento com o Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID.

ADTRANZ Sistemas Eletromecânicos: Caso seja necessário a implementação de reforços nas Plataformas o escopo será de responsabilidade do fornecedor das Portas de Plataforma ou o Metrô irá contratar uma empresa específica?

R: O escopo será de responsabilidade do fornecedor.

O documento oficial está disponível aqui

Avatar

Fernando Galfo

É engenheiro por formação e entusiasta de obras de mobilidade urbana. Utiliza transporte individual na maioria das vezes mas acompanha e sabe da real e urgente necessidade de investimentos em infraestrutura e principalmente em transporte público aliadas com políticas públicas de redução da pendularidade do sistema de transportes

Adicionar comentário

Clique aqui para deixar um comentário

Follow on Feedly
error: Hum, não vale copiar né??