Linha 15 Metrô

Dia 30 o Metrô ampliará o horário do monotrilho da Linha 15 Prata

Pátio da Linha 15 Prata
Pátio da Linha 15 (GESP)

Inaugurado em abril de 2018, o trecho do monotrilho da Linha 15 Prata entre as Estações São Lucas e Vila União vem sendo operado em horário reduzido das 10:00 as 15:00 desde então e tem passado por vários testes de final de semana. Dia 30 de julho isso irá mudar.

A expansão do horário de funcionamento da linha foi divulgado no site do Metrô. Será das 9:00 às 16:00 de segunda a sexta-feira. Mas a grande dúvida da população persiste: quando funcionará em horário integral?

Chegou ao blog a informação que o horário integral da linha será no mesmo dia da inauguração da Estação Jardim Planalto. A última previsão seria agosto.

Energia

Nos testes de final de semana, foi notado algo diferente: a velocidade do monotrilho.

Como sabem, o monotrilho tem tração elétrica, portando precisa de energia para circular na linha. Quanto mais rápido anda, mais energia consome. Similarmente, se tem pouca energia disponível o trem anda devagar. Quem lembra dos autoramas em que você ajustava a velocidade dos carrinhos no acelerador de mão? Então…

Antes de continuar quero deixar claro duas coisas: velocidade média e velocidade operacional: a média leva em conta o tempo parado nas estações, o que faz ela ter um valor baixo. No caso da Linha 15, deverá ser aproximadamente 35 km/h. A velocidade operacional é a que vemos no painel, ou seja, a velocidade de fato como conhecemos.

Com base nos vídeos publicados numa rede social dos testes da Linha 15, estimamos a velocidade dos trens: 60 Km/h. A conta que fizemos é simples: definimos um pilar como ponto de medição e como a composição tem 86 metros, demorou aproximadamente 5 segundos para ela passar. Portanto, 86 metros / 5 segundos = 17,2 m/s, o que é equivalente a velocidade instantânea aproximada de 60 km/h. Importante: isso é uma estimativa. Não necessariamente de fato chegou-se nessa velocidade.

Nas especificações do fabricante, Bombardier, a Frota M, mais especificamente o Innovia300, tem a velocidade operacional máxima de 80 km/h.

Com base no cálculo estimado e visualmente olhando o monotrilho percorrer o trecho no testes, é bem diferente da baixa velocidade da operação comercial. Mas porquê ?

Apesar de já ter a licença ambiental de operação desde abril, subestação primária São Lucas da Linha 15 não está fornecendo energia ao sistema.

Pela lei, o Metrô é considerado consumidor livre, ou seja, aquele que pode escolher seu fornecedor de energia elétrica por meio de livre negociação. Assim, o Metrô deve contratar energia.

Encontramos um pregão eletrônico e no edital cita a compra 58 MW médios para o Metrô por um prazo de 36 meses, contados a partir de 01/01/2019. Não sabemos de fato se é para Linha 15 mas é muito provável.

Será que somente em 2019 teremos de fato o trecho da Linha 15 Prata com a velocidade operacional máxima? Também em 2019 teremos a operação da linha pela nova concessionária.

Avatar

Fernando Galfo

É engenheiro por formação e entusiasta de obras de mobilidade urbana. Utiliza transporte individual na maioria das vezes mas acompanha e sabe da real e urgente necessidade de investimentos em infraestrutura e principalmente em transporte público aliadas com políticas públicas de redução da pendularidade do sistema de transportes

27 comentários

Clique aqui para deixar um comentário

Follow on Feedly
error: Hum, não vale copiar né??