Linha 5 Metrô

Linha 5 Lilás tira 25% dos passageiros de 3 linhas de ônibus

Portas de Plataforma Estação Santa Cruz da Linha 5 Lilás
Portas de Plataforma da Estação Santa Cruz

Em 13 de outubro de 2018, a Linha 5 Lilás do Metrô finalmente começou a operar em horário integral ligando o Capão Redondo até a Estação Chácara Klabin da Linha 2 Verde e a Estação Santa Cruz da Linha 1 Azul.  Com isso as principais linhas de ônibus da SPTrans, que fazem o trajeto até ambas as linhas, notaram uma significativa redução na demanda de passageiros.

Comparando-se dados de outubro desse ano em relação ao anos passado, houve uma redução média de 25% da quantidade de passageiros nas seguintes linhas da SPTrans.

Importante frisar que somente no meio de outubro que foi estendido o horário integral, assim o impacto pode ter sido muito maior do que os 25% médios.

SPTrans vs Linha 5 Lilás do Metrô

Hábitos de deslocamento

Uma matéria realizada pelo Diário do Transporte, cita uma pesquisa que apresenta dados que o ônibus é o meio de transporte mais utilizado nas principais capitais brasileiras em contraponto com outros modais, um deles o metrô.

Destaque para 74% dos entrevistados preferirem o Metrô pela sua rapidez.

O interessante é notar que 27% dos entrevistados dizerem que preferem o ônibus pela economia sendo que o valor da passagem é o mesmo que o do Metrô. Isso demonstra que o Metrô ainda tem que expandir muito pois o custo da integração ainda é bem impactante para uma maior utilização do transporte sobre trilhos – aliado talvez uma uma mudança na política tarifária.

Veja que 567 mil passageiros migraram do ônibus para o Metrô. Há muita demanda reprimida na periferia e em outras regiões/bairros de São Paulo (Alô Brasilândia, Jardim Ângela, Cidade Tiradentes, Varginha, Taboão da Serra – respectivamente Linhas  6-Laranja, 5-Lilás, 15-Prata, 9-Esmeralda e 4-Amarela.

PS: Espero que as pessoas ao responderem a pesquisa considerem toda malha metroferroviária como metrô, ou seja, trens metropolitanos da CPTM e VLTs, afinal eles não deixam de ser transportes sobre trilhos e precisamos valorizá-los.

Pesquisa realizada pela Spry, encomendada pela Anfavea
Pesquisa realizada pela Spry, encomendada pela Anfavea

 

Colaborou Renan Ribeiro

Fernando Galfo

É engenheiro por formação e entusiasta de obras de mobilidade urbana. Utiliza transporte individual na maioria das vezes mas acompanha e sabe da real e urgente necessidade de investimentos em infraestrutura e principalmente em transporte público aliadas com políticas públicas de redução da pendularidade do sistema de transportes

24 comentários

Clique aqui para deixar um comentário

  • Excelente essa linha lilás, ajudou muito,nos que moramos na região da capão redondo, parabéns pelo governo, olha aí usuário, depois dizem que o governo não faz nada.

  • A linha 5 ainda precisa de acertos no que tange à segurança. Ambulantes e pedintes continuam a frequentar diariamente as composições. O sistema 0800 para denúncia torna-se um tanto perigoso para quem faz a denúncia pois temos que falar ao telefone e corre- e o risco de algum olheiro dos mesmos ouvirem e se voltarem a quem está denunciando com violência. Se tivessem um número de Whatsapp seria o ideal. E por algumas vezes faltam seguranças para coibir ambulantes e pedintes dentro dos trens.

  • Maravilha! Benefício para todos. Tanto para os cidadãos quanto para o próprio Metrô/CPTM e também às próprias empresas de ônibus que sobrepõem o trem. Quem disse que o transporte tem que viver lotado o tempo todo? Dias melhores estão chegando, e vamos torcer para que o Doria cumpra suas promessas e continue a expansão do sistema

  • Sentido insatisfeito , pois estão dando prioridade para a região do capão redondo , enquanto as pessoas do sentido grajau tem que fazer aquela volta no horário de pico na qual atrasa bastante o destino , utilizando as mesmas ideias da outras consórcio e o vendedores ambulantes estão começando a praticar juntos com os pedidores esmolas.

  • O autor da reportagem desprezou o alto valor da integração metrô+ônibus ($6,96)…por isso as pessoas que pegam uma perua local para chegarem a seus bairros ainda preferem ônibus, pois ônibus+ônibus=$4, uma economia de $5,92 (ida e volta) por dia.

    • Desculpe manolo caso se você estiver falando a respeito do meu comentário, deixo bem claro o pessoal do metro também utilize integração com cptm, porem benefício fica igual . sempre usei este metro e sempre prioridade a região do capão que não leva nem 10 minutos de santo Amaro a capão redondo e o mesmo acontece com as empresas de ónibus as melhores estão concentrada na região de capão e jardim Ângela, exemplo a gatusa. 8

  • Poderia tirar um percentual maior dos ônibus. Não o faz porque o serviço prestado pela linha 5 enquanto metrô e péssimo a despeito de terem recebido do estado equipamentos novos e modernos, com mais de 80% do sistema instalado.
    Funcionários gritando nas plataformas com um megafone nos fazendo sentir na feira livre ou anuncios automáticos em inglês britânico não sao sinônimos de bom serviços. Bom serviço é agilidade nas catracas e regularidade dos trens, o que hoje não temos, principalmente nos horários de pico. Essa linha era um esperança que virou frustração.

  • Ola Fernando : Boa Tarde.

    no Site da Viamobilidade, Deveria Ter o Mapa da Linha 5 Lilas com as 16 Estações do Ramal.
    em Baixo da Frase : Conheça Todos os Projetos, Igual o Esquema do Site da ViaQuatro.

    Obrigado.

  • Prezados,
    Também sou um grande entusiasta do transporte sobre trilhos, que utilizo todos os dias. Sou morador da Zona Leste de São Paulo. Gostaria de compartilhar com vocês algumas dúvidas que tenho sobre os critérios de distribuição das linhas de metrô na cidade. Primeiramente, não tenho a menor dúvida de que todos os moradores da cidade merecem transporte público de qualidade, não importando a região onde vivem ou a sua condição social.
    Entretanto, há alguns fatos que não consigo entender. Consultando o site wikipedia, verifiquei que a Zona Sul de São Paulo tinha, em 2008, aproximadamente 2.250.000 habitantes. Em 2012, a Zona Leste tinha aproximadamente 4.600.000 habitantes, portanto mais que o dobro da Zona Sul. Temos de acrescentar a isso o fato de que, conurbados com a Zona Leste, há diversos municípios densamente povoados, como Guarulhos, por exemplo, que tem mais de 1.300.000 habitantes.
    A Zona Leste de São Paulo conta com a linha vermelha (a mais lotada do sistema, concluída nos anos de 1980) e uma única estação da linha verde (Vila Prudente), além de algumas estações do monotrilho que não têm quase nenhum impacto significativo na região.
    A Zona Sul conta com a linha azul, com a linha lilás, com parte da linha verde e outra boa parte da linha amarela. Basta olhar o mapa das linhas de metrô para constatar essa grande disparidade na distribuição das linhas.
    Não sei como estão os números hoje, mas posso garantir que a Zona Leste continua com mais que o dobro de habitantes da Zona Sul. Também não tenho dúvidas de que a população da Zona Leste é a que mais se desloca a outras regiões da cidade para trabalhar. É a que mais sofre.
    Tendo tudo isso em conta, eu não consigo entender o seguinte: por que tanto investimento em linhas de metrô na Zona Sul de São Paulo e tão pouco na Zona Leste, onde mora a maioria da população da cidade? Isso é justo? Por que se fala tanto em extensão do metrô a Taboão da Serra, Jardim Ângela, Brasilândia e etc? Onde o metrô é mais urgente hoje, nesses lugares ou em Guarulhos e na Zona Leste? Não está havendo um nítida inversão de prioridades? Gostaria de ouvir a opinião de vocês. Muito obrigado.

    • Você está se esquecendo da CPTM, que também é transporte sobre trilhos. A zona leste hoje, além das linhas 3-Vermelha, 2-Verde e 15-Prata do Metrô, conta com as linhas 10-Turquesa, 11-Coral e 12-Safira da CPTM, que contribuem enormemente para a circulação das pessoas. Guarulhos hoje conta com a Linha 13-Jade. De fato, há uma necessidade de ampliação da rede metroferroviária na cidade, especialmente no vasto território da zona leste de São Paulo e municípios adjacentes. Especialmente, no que diz respeito a ampliação das conexões entre linhas, para que elas efetivamente formem malha na região, evitando assim grandes deslocamentos, sem que haja opção de troca entre linhas.

      Fica a sugestão também que questionar diretamente o Metrô ou a STM via SIC: http://www.sic.sp.gov.br/Cadastro.aspx

Follow on Feedly
error: Hum, não vale copiar né??